Seu cachorro estava olhando tão fixamente para a parede que este homem não teve escolha a não ser investigar

George Miller observou seu cachorro Crosby encarar uma das paredes de sua casa, dia após dia. Finalmente, ele decidiu instalar uma câmera, pensando que descobriria no que Crosby estava tão interessado.

Depois de verificar algumas das imagens gravadas, George foi até a parede, para a alegria de Crosby. O que o jovem encontrou estava além de qualquer coisa que ele já tinha imaginado; era a resposta a todas as suas perguntas.

George Miller estava se sentindo um pouco solitário

George Miller Was Getting A Bit Lonely
George McAdam/Facebook
George McAdam/Facebook

Viver em uma cidade diferente do resto de sua família pode ser solitário. Para o solteiro George Miller, essa solidão foi um desafio. Ele estava acostumado a ter uma equipe de apoio ao seu redor o tempo todo.

Então, ele decidiu fazer algo a respeito e conseguir uma companhia. Mas esse companheiro não veio na forma de um parceiro humano. George estava pensando em algo com quatro pernas e não duas!

Crosby, o cão, juntou-se à família de George Miller

Crosby The Dog Joined George Miller's Tiny Family Of One
James Devaney/GC Images
James Devaney/GC Images

O jovem de 29 anos estava se sentindo um pouco solitário em sua nova cidade. Então, para se sentir um pouco mais em casa, mesmo longe da família, George Miller decidiu adotar um cachorro.

Crosby era amoroso, leal e exatamente o que George precisava em sua nova cidade. Mas havia algo sobre o seu novo amigo peludo que George estava prestes a descobrir. E, acredite em nós, é algo realmente inesperado.

O comportamento de Crosby não era normal

Crosby's Behavior Wasn't Normal
Stephan Schulz/picture alliance via Getty Images
Stephan Schulz/picture alliance via Getty Images

George Miller demorou um pouco para descobrir o que seu cachorro estava fazendo exatamente. Afinal, ele nunca tinha visto Crosby fazer algo assim. E George o adotou alguns anos atrás!

Por tudo que George sabia, Crosby era um cachorro típico, amoroso e brincalhão, que amava as pessoas e fazia amizade com outros animais no parque. Mas agora tudo estava mudando e George realmente não sabia o que fazer ou sentir sobre a situação.

O gato e o cachorro do vizinho eram os melhores amigos de Crosby

The Neighbor's Cat And Dog Were Crosby's Best Friends
Gavriil GrigorovTASS via Getty Images
Gavriil GrigorovTASS via Getty Images

Crosby não precisa de muito para fazer amizade com outros animais. O cachorro e o gato do vizinho do lado eram praticamente os melhores amigos de Crosby. Eles estavam sempre brincando e aprontando uns com os outros.

Infelizmente, os dois melhores amigos de Crosby faleceram um após o outro. Enquanto seu dono estava, obviamente, de coração partido, eles não eram os únicos. Crosby ficou devastado com a perda de seus dois amigos. O que George iria fazer agora?

Animais de estimação desejam companhia

Pets long For Companionship
Gavriil GrigorovTASS via Getty Images
Gavriil GrigorovTASS via Getty Images

Como os humanos, os animais de estimação buscam companhia. É por isso que eles são extremamente leais aos seus humanos e não querem nada mais do que estar perto deles o tempo todo. O mesmo vale para seus amigos.

Quando perdem um amigo próximo, os cachorros têm uma sensação de perda e tristeza, semelhante a uma pessoa que perde alguém que ama. Após perder o gato e o cachorro do vizinho, Crosby ficou um pouco infeliz, o que já era esperado. Mas esse não era o motivo de seu comportamento incomum.

Crosby não mostrou sinais de alerta

Crosby Showed No Warning Signs
Ben Gabbe/Getty Images
Ben Gabbe/Getty Images

George Miller e Crosby estavam juntos há alguns anos e seguiam uma rotina diária de caminhadas, alimentação, mais caminhadas e, é claro, brincadeiras. O jovem realmente não percebeu nada fora do comum no início. Isso até que ele chegou em casa um dia esperando que Crosby o encontrasse com lambidas e pulos na porta, mas ele não estava lá.

Em vez disso, o cão de George estava fazendo algo um pouco estranho e fora do comum… Algo que George não conseguia explicar.

Crosby não estava respondendo ao seu nome

Crosby Wasn't Answering To His Name
Aurora Rose/Patrick McMullan via Getty Images
Aurora Rose/Patrick McMullan via Getty Images

George Miller esperava que Crosby o encontrasse na porta quando ele voltasse para casa. Afinal, era o que o seu amigo peludo normalmente fazia até então. Mas este dia foi diferente. Algo chamou a atenção de Crosby a ponto de ele não responder quando George chamou seu nome.

Depois de chamar o cachorro várias vezes, George decidiu ver o que havia chamado a atenção de seu amigo. O que era tão interessante para Crosby não correr para a porta?

A parede da sala de estar era o ponto de interesse de Crosby

The Living Room Wall Was Crosby's Point Of Interest
Marvin Joseph/The Washington Post via Getty Images
Marvin Joseph/The Washington Post via Getty Images

Depois de chamar o nome de Crosby algumas vezes, George Miller decidiu descer ao nível de seu cachorro e ver o que o interessava tanto. No final das contas, era a parede da sala!

Crosby estava olhando tão fixamente para a parede que era como se nada mais existisse ao seu redor, incluindo seu dono. George estava um pouco confuso porque não havia nada de incomum na parede da sala, pelo menos para seus sentidos humanos.

Crosby estava ficando doido?

Crosby Was Paranoid
Marvin Joseph/The Washington Post via Getty Images
Marvin Joseph/The Washington Post via Getty Images

Ajoelhando-se ao nível de Crosby, George Miller não viu nada de errado com a parede da sala. Então, por que Crosby estava tão interessado nisso? E o que chamou a atenção de seu cachorro?

Como qualquer bom dono de animal de estimação, George estava preocupado com seu companheiro peludo. Crosby era tipicamente um vira-lata amante da diversão. Mas o que quer que estivesse “errado” com a parede o deixava muito paranoico. O que exatamente estava causando essa paranoia era um mistério total, no entanto.

George não sabia o que Crosby estava olhando

crosby
tcoll4111/Reddit
tcoll4111/Reddit

Em uma tentativa de acalmar Crosby, George o tocou, dizendo: “O que foi, garoto?” Acariciá-lo era a única forma de fazer com que seu cachorro parasse de encarar a parede por alguns segundos. Fora isso, seus olhos permaneciam fixos na pintura, olhando para algum objeto desconhecido.

George ficou feliz em ver que não havia realmente nada de errado com seu cachorro. A princípio, ele pensou que a audição de Crosby estava falhando. Mas após chegar mais perto, ele percebeu, Crosby estava paralisado na parede da sala. Era um inseto que George não estava vendo?

Logo, a parede estava esquecida

Soon, The Wall Was All But Forgotten
Gina Ferazzi/Los Angeles Times via Getty Images
Gina Ferazzi/Los Angeles Times via Getty Images

Por mais que George esperasse e desejasse, Crosby não estava olhando para um inseto na parede. Por mais estranho que fosse, ele não achou nada que pudesse prender a atenção de seu cão, que parecia hipnotizado.

Mesmo assim, depois de um tempo, Crosby voltou ao normal. Ele deixou a parede para trás, jantou e aninhou-se com seu dono. Mais tarde naquela noite, porém, George acordou com algo um pouco perturbador.

George acordou para ver Crosby de volta à parede

George Woke Up To See Crosby Back At The Wall
Erin Clark for The Boston Globe via Getty Images
Erin Clark for The Boston Globe via Getty Images

No meio da noite, George Miller acordou precisando de um copo d’água. No caminho para a cozinha, porém, a última coisa que esperava ver era Crosby mais uma vez olhando para a parede da sala. Estava escuro como breu! O que diabos o cachorro estava olhando, e por que George não conseguia ver?

Ao contrário de uma hora antes, Crosby parecia um pouco diferente. Quase como se o cachorro estivesse mais triste.

George decidiu comprar uma câmera

George Decided To Buy A Camera
NOEL CELIS/AFP via Getty Images
NOEL CELIS/AFP via Getty Images

No dia seguinte, George Miller decidiu que descobriria por qual razão seu cachorro estava olhando para a parede da sala. Antes de começar a trabalhar, ele decidiu sair e comprar uma câmera de visão noturna, instalando-a em sua sala na esperança de detectar o que Crosby estava olhando.

Mas ele não olhou para a filmagem imediatamente. George queria pelo menos dois dias de “evidências” para ajudá-lo a descobrir o que estava acontecendo com seu cachorro.

A câmera foi um fracasso

The Camera Was A Bust
Marka/Universal Images Group via Getty Images
Marka/Universal Images Group via Getty Images

Para surpresa de George Miller, a filmagem não mostrava Crosby olhando para a parede da sala. Acontece que ele realmente só fazia isso quando George estava por perto, acrescentando mais um mistério a toda essa experiência.

Era quase como se Crosby estivesse tentando dizer a George algo sobre a parede, mas não tivesse como se comunicar com ele a não ser olhando. Bem, o olhar fixo definitivamente chamou a atenção de George! Ele simplesmente não tinha ideia do que isso significava.

Crosby estava definitivamente tentando comunicar algo

Crosby Was Definitely Trying To Communicate Something
Fairfax Media via Getty Images/Fairfax Media via Getty Images via Getty Images
Fairfax Media via Getty Images/Fairfax Media via Getty Images via Getty Images

Crosby podia não falar inglês, mas definitivamente estava tentando sinalizar algo para George Miller. Latir, coçar e pular podem ser formas de comunicação essenciais para a maioria dos cães; Crosby continuava olhando fixamente.

Agora, era uma questão de descobrir por que ele estava olhando e o que estava tentando dizer a George. Ele estava perdendo algo completamente? Ou Crosby estava tentando dizer a ele algo importante?

Crosby estava feliz com alguma coisa

Crosby Was Happy About Something
Mindy Schauer/Digital First Media/Orange County Register via Getty Images
Mindy Schauer/Digital First Media/Orange County Register via Getty Images

George Miller estava perplexo. Ele não tinha ideia de por que Crosby estava olhando para a parede da sala. Ainda assim, ele entrou na sala e deu outra olhada, pensando que estava perdendo alguma coisa. Algo inesperado aconteceu quando ele entrou na sala, no entanto.

Crosby começou a latir alegremente, seguindo George até a sala de estar! Ele não via seu cachorro assim, tão alegre e enérgico, desde a morte dos animaizinhos de seu vizinho.

George inspecionou a parede um pouco mais

George Inspected The Wall A Bit More
Mike Morgan/For The Washington Post via Getty Images
Mike Morgan/For The Washington Post via Getty Images

Curioso pelo motivo do latido de seu cachorro, George Miller se ajoelhou para inspecionar melhor a parede. Foi quando Crosby começou a latir mais. Era como um jogo estranho de “quente ou frio”. No entanto, um dos jogadores não sabia exatamente falar inglês, e o outro não tinha ideia se um latido significava quente ou frio.

Apesar disso, George logo descobriu por que Crosby estava tão decidido a olhar para a parede.

Havia algo na parede

There Was Something In The Wall
DIY Photolibrary/Construction Photography/Avalon/Getty Images
DIY Photolibrary/Construction Photography/Avalon/Getty Images

Após uma inspeção mais aprofundada da parede, George Miller ouviu um som estranho. Não demorou muito para ele perceber que o som vinha de dentro da parede! Esse deve ter sido o motivo pelo qual Crosby ficou olhando para ele por tantos dias.

Agora a questão era o que diabos poderia estar preso na parede, e como ele deveria tirar isso, fosse o que fosse, para fora? Seu coração estava batendo forte com a descoberta!

Havia um buraco na parede

There Was A Hole In The Wall
Gregory Rec/Portland Press Herald via Getty Images
Gregory Rec/Portland Press Herald via Getty Images

Finalmente, George Miller estava chegando a algum lugar! Definitivamente havia algo na parede da sala de estar, e é por isso que Crosby está olhando para ela. Agora, era uma questão de encontrar uma maneira de retirar o que quer que fosse.

Depois de olhar mais de perto a parede, George percebeu que alguns painéis de madeira haviam se soltado perto do chão. Ele o removeu, notando um buraco na parede de gesso. Sem saber o que fazer, ele enfiou sua mão no buraco.

George enfiou o braço no buraco

George Stuck His Arm Into The Hole
Carl Court/Getty Image
Carl Court/Getty Image

Depois de encontrar o buraco na parede, George decidiu que precisava descobrir o máximo que pudesse. Então, obviamente, isso significava enfiar a mão no buraco e manobrá-la até o cotovelo. Movendo a mão pela parte interna da parede, os olhos de George se arregalaram em descrença. O que diabos ele estava sentindo? Havia algo vivendo na parede de sua sala? Ele agora estava mais perto do que nunca da verdadeira resposta.

Muita poeira e sujeira

Lots Of Dust, Dirt, And Debris
Vince Talotta/Toronto Star via Getty Images
Vince Talotta/Toronto Star via Getty Images

George Miller tocou o interior da parede um pouco antes de perceber que havia muito mais do que apenas poeira e partículas de drywall ali dentro. Com o máximo de cuidado possível, George fechou o punho em torno dos destroços, tentando aumentar o buraco.

Devia haver algo mais dentro da parede, além de drywall, poeira e sujeira. Foi quando ele ouviu os gritos.

George chegou mais longe no buraco

George Stretched Further Down The Hole
Jeremy Papasso/Digital First Media/Boulder Daily Camera via Getty Images
Jeremy Papasso/Digital First Media/Boulder Daily Camera via Getty Images

George Miller sabia que estava perto de descobrir por que Crosby estava olhando para a parede quando os gritos começaram. Ouvindo o primeiro, George jogou o braço de volta no buraco, esperando um resultado melhor na segunda vez.

Com toda a força que pôde, George esticou o braço ainda mais fundo no buraco. Foi quando ele sentiu algo pequeno e macio. Considerando quais foram suas descobertas da primeira vez, ele não achou que fosse nada mais do que isolamento. Rapaz, ele estava errado!

Algo estava fazendo barulho!

Something Was Making Noise!
Justin Sullivan/Getty Images
Justin Sullivan/Getty Images

George Miller achava que o objeto pequeno e macio não era nada mais do que isolamento. Isto é, até ouvir um pequeno gemido. Esse som definitivamente não vinha do isolamento! George fechou a mão ao redor da criatura com muito cuidado e tentou tirá-la da parede. Claro, isso é mais fácil dizer do que fazer. E a criatura não aceitou exatamente uma “criatura” estranha e grande tirando-a de sua casa.

Era um gatinho

It Was A Kitten
Philippe Lissac/Godong/Universal Images Group via Getty Images
Philippe Lissac/Godong/Universal Images Group via Getty Images

Finalmente, George Miller conseguiu tirar a criatura da parede. Para sua grande surpresa, ele descobriu que se tratava de um gatinho minúsculo! Como ele acabou no painel entre sua sala de estar e o banheiro? Ainda mais estranho, o gatinho parecia estranhamente com o falecido amigo felino de Crosby da casa ao lado. O cachorro dele tinha algo a ver com o alojamento do gatinho na parede?

Agora era hora de encontrar a mamãe do gatinho

Now It Was Time To Find The Kitten's Mama
Kaido Teesalu/Focus/Universal Images Group via Getty Images
Kaido Teesalu/Focus/Universal Images Group via Getty Images

George Miller não conseguia acreditar que um gatinho minúsculo estava morando em sua parede todo esse tempo! A pobrezinha estava coberta de poeira. Quem sabia há quanto tempo estava morando lá. Uma coisa era certa, porém, George precisava de um plano de ação.

O gato do vizinho era sua mãe? Ou outro gato estava vagando por aí se perguntando onde está seu bebê? George sabia de uma coisa; este gatinho não conseguiu entrar sozinho na parede. Crosby deve ter ajudado.

As primeiras coisas primeiro: um banho

First Things First: A Bath
birgl/pixabay
birgl/pixabay

O mais importante primeiro, George Miller queria limpar o gatinho minúsculo. Usando um pano úmido, ele lavou o pó do gatinho. Mas ele não sabia ao certo como cuidar de um gatinho que não deve ter mais do que algumas semanas.

Enquanto George tentava descobrir qual deveria ser o próximo movimento, Crosby abanava o rabo, muito feliz com a pequena criatura que seu dono segurava.

George foi de porta em porta tentando achar seu dono

George Went Door To Door Asking About An Owner
ADRIAN DENNIS/AFP via Getty Images
ADRIAN DENNIS/AFP via Getty Images

Crosby pode ter ficado animado com o hóspede, mas George Miller não tinha ideia de como cuidar de um gatinho. Ele esperava que seu dono morasse perto. Então, George foi em frente e começou a perguntar pela vizinhança se alguém estava procurando por um gatinho perdido.

Embora ninguém reivindicasse a pequena criatura como sua, os vizinhos diziam que o gatinho parecia familiar. Ela deve ser uma vira-lata, o que significa que uma visita ao veterinário era necessária!

O gatinho era bom e saudável

The Kitten Was Nice And Healthy
Suleyman Elcin/Anadolu Agency/Getty Images
Suleyman Elcin/Anadolu Agency/Getty Images

George Miller levou o gatinho ao veterinário para um checkup. Felizmente, além de estar com fome e suja, nada havia de errado com a criatura! Infelizmente, ela também não tinha um chip, então não havia como George encontrar seu dono. E como ninguém respondia aos pôsteres de “gatinho perdido” e às páginas do Facebook, George ficou perdido. Estava chegando a hora em que ele teria que tomar uma decisão difícil.

George precisava de um plano

George Needed A Plan
Steve Parsons/PA Images via Getty Images
Steve Parsons/PA Images via Getty Images

Sem ninguém se apresentar para reclamar o gatinho, George Miller teria que tomar uma decisão difícil. Crosby estava obviamente emocionado com a minúscula criatura, voltando ao seu eu alegre e feliz após a morte de seus dois amigos peludos. Mas George não queria um gatinho. Ele conversou com o veterinário sobre outras opções, como um abrigo. Isso o esmagou, mas ele queria ter certeza de que o gatinho estava em boas mãos.

George precisava de um plano B

George Needed A Plan B
ANNA-ROSE GASSOT/AFP via Getty Images
ANNA-ROSE GASSOT/AFP via Getty Images

O veterinário foi sincero com George, porém, dizendo-lhe que o gatinho provavelmente seria sacrificado se ele o levasse para um abrigo. Durante uma entrevista, George disse: “O veterinário basicamente me disse que se eu a levasse para o abrigo, ela seria sacrificada porque já existem mais de 300 gatinhos só no abrigo do condado que precisam de casa”.

“Ele disse que eu poderia tentar colocá-la do lado de fora e esperar que ela voltasse para casa, ou poderia ficar com ela”, completou.

O gatinho se tornou parte da família

The Kitten Became Part Of The Family
STR/AFP via Getty Images
STR/AFP via Getty Images

Depois de ouvir essa informação, não demorou muito para George decidir ficar com o gatinho. De qualquer maneira, Crosby já parecia gostar da minúscula criatura. Então, ele levou o gatinho para casa.

Imediatamente, George percebeu que Crosby estava radiante. Ele ia ter um companheiro animal na casa! Sem mencionar que o gatinho agora tinha um lar amoroso e um irmão para brincar. Foi uma vitória para todos!

Lil Ray-Ray e Crosby se tornaram amigos rapidamente

Lil Ray-Ray And Crosby Became Fast Friends
Ilyas Gun/Anadolu Agency via Getty Images
Ilyas Gun/Anadolu Agency via Getty Images

George decidiu chamar o gatinho de Lil Ray-Ray e jurou prestar um pouco mais de atenção a Crosby quando ele fizesse algo fora do comum. Tipo, digamos, ficar olhando para uma parede por mais tempo do que o necessário!

E embora ele realmente não quisesse um gatinho, George sabia que fez a escolha certa. Crosby e Lil Ray-Ray eram como almas gêmeas perdidas um do outro, tornando-se amigos instantâneos, parceiros no crime e, claro, amigos cochilando.