Pesquisadores Fazem Uma Descoberta Extraordinária Sob a Ponte Golden Gate

Desde 1937, a Ponte Golden Gate atravessa o estreito Golden Gate, conectando a Baía de São Francisco ao Oceano Pacífico. E embora a estrutura seja algo digno de se contemplar, há alguns mistérios escondidos debaixo dela nas águas que também merecem atenção.

Com a ajuda de alguns robôs subaquáticos, a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) estabeleceu como objetivo descobrir os segredos fantasmagóricos escondidos sob a Ponte Golden Gate. O que eles descobriram é assustador da maneira mais extraordinária.

Um dos marcos mais famosos dos Estados Unidos

One Of The United States Most Famous Landmarks
Xinhua/Wu Xiaoling via Getty Images
Dukas/Universal Images Group via Getty Images

Estendendo-se por quase três quilômetros pela Baía de São Francisco, a estrutura cor de ferrugem da Ponte Golden Gate é indiscutivelmente um dos pontos turísticos mais famosos da América. Pessoas de todo o mundo viajam até São Francisco para se maravilhar com sua engenharia.

Mas enquanto as pessoas olham para a ponte, elas esquecem que a água sobre a qual ela se eleva contém mais de um segredo. Agora, com a ajuda de robôs subaquáticos, a NOAA tornou sua missão descobrir histórias do passado.

A ponte recebe cerca de 27 mil visitantes por dia

The Bridge Has Around 27,000 Visitors Per Day
Paul Chinn/The San Francisco Chronicle via Getty Images
Paul Chinn/The San Francisco Chronicle via Getty Images

De acordo com a Bold Italic, cerca de 27 mil visitantes se aventuram na Ponte Golden Gate por dia. E é fácil perceber por quê. Com quase três quilômetros de comprimento, ela atravessa de forma fantástica o estreito para unir São Francisco, a sul, com Sausalito, a norte. Sua tonalidade laranja também oferece um forte contraste com o céu azul da Califórnia.

A Ponte Golden Gate é tão querida e grandiosa que a Sociedade Americana de Engenheiros Civis a considera uma das Maravilhas do Mundo Moderno, estando a estrutura ao lado de proezas da engenharia como o Empire State Building e o Canal do Panamá. Mas, embora milhões de pessoas visitem a famosa ponte todos os anos, poucas estão cientes do que está nas águas abaixo.

377 pés de profundidade e muitos mistérios

377-Feet Deep And Full Of Mystery
DigitalGlobe via Getty Images via Getty Images
Gonzales Photo/Kenneth Nguyen/PYMCA-Avalon/Universal Images Group via Getty Images

Com cerca de 377 pés (em torno de 115 metros) em seu ponto mais profundo, as águas sob a Ponte Golden Gate estão destinadas a guardar mais de um conto fantasmagórico do passado. E a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional tornou sua missão trazer algumas histórias assustadoras à superfície.

A equipe NOAA espera fazer isso usando seus robôs subaquáticos operados remotamente. O objetivo é vasculhar o fundo do estreito Golden Gate e descobrir os tesouros escondidos pelo tempo e por toda água da região.

É um dos portos naturais do mundo

It Is One Of The World's Natural Harbors
Gili Yaari/NurPhoto via Getty Images
Gili Yaari/NurPhoto via Getty Images

O fato é que o plano de escavação da NOAA não é tão fácil quanto parece. O estreito de Golden Gate nada mais é do que um trecho de água com quilômetros de largura, conectando a Baía de São Francisco ao Oceano Pacífico. E é conhecido por manter tesouros bem escondidos sob suas ondas.

Por ser um dos portos naturais do mundo, os historiadores acham incrível que os conquistadores espanhóis nada soubessem a respeito.

A baía estava escondida até o século 18

The Bay Was Hidden Until The 8th Century
Marji Lang/LightRocket via Getty Images
Marji Lang/LightRocket via Getty Images

Muitas vezes coberta por uma camada de névoa e cercada por terreno rochoso, a baía permaneceu escondida até que os espanhóis finalmente a encontraram no século 18. Atravessar o estreito realmente não era nada fácil na época.

Mais de um navio se viu esmagado contra as rochas por conta das nuvens espessas, ventos fortes e ondas que golpeavam as embarcações. Mas a NOAA não deixaria que esses obstáculos da natureza impedissem o seu plano.

Muitas pessoas estavam à mercê da água

Many People Were At The Mercy Of The Water
Tayfun Coskun/Anadolu Agency/Getty Images
Tayfun Coskun/Anadolu Agency/Getty Images

Com as correntes violentas do Oceano Pacífico, muitas vezes o desastre atingiu aqueles que tentaram chegar à segurança da baía. Sem cartas de navegação e instrumentos, os primeiros colonizadores do norte da Califórnia não tinham nada para seguir além de sua própria visão.

Que, honestamente, é o melhor quando se passa por uma área conhecida por suas tempestades de névoa. Mesmo assim, muitos conseguiram passar pelo estreito, entrar na baía, e foram capazes de se estabelecer nas costas que cercam o porto.

Tudo mudou com o capitão John Montgomery

Everything Changed With Captain John Montgomery
DEA/BIBLIOTECA AMBROSIANA/Getty Images
DEA/BIBLIOTECA AMBROSIANA/Getty Images

Povoado pela primeira vez pelos espanhóis em 27 de junho de 1776, demorou mais do que alguns anos para Yerba Buena se juntar ao resto dos Estados Unidos. Então, em 1846, o capitão John Montgomery navegou até a baía, reivindicando as terras para os Estados Unidos, sem encontrar resistência e plantando a primeira bandeira americana em suas costas.

Um ano depois, Yerba Buena foi renomeada e passou a se chamar San Francisco. E, em 1850, a Califórnia se tornou o 31º estado dos Estados Unidos, bem a tempo para a corrida do ouro.

A população continuou crescendo

The Population Kept Growing
Buyenlarge/Getty Images
Buyenlarge/Getty Images

Mesmo depois que o entusiasmo da corrida do ouro na Califórnia cessou em 1855, a baía de São Francisco ainda era um dos portos marítimos mais importantes do mundo. Com tantas pessoas chegando às costas de São Francisco de navio, era hora de descobrir como vencer o estreito.

Mas demoraria muito para que a Ponte Golden Gate se tornasse um marco histórico da Bay Area.

São Francisco ficou atrás de outras cidades

San Francisco Was Behind Other Cities
Universal History Archive/Universal Images Group via Getty Images
Universal History Archive/Universal Images Group via Getty Images

Antes que a enferrujada ponte Golden Gate cruzasse as águas do estreito Golden Gate, as pessoas chegavam às costas de São Francisco de barco, a maneira até então mais fácil de atravessar o estreito.

O fato é que a área escondida atrapalhava o crescimento da cidade. Seu isolamento tornava difícil o acesso de mercadorias à cidade. San Francisco não estava crescendo no mesmo ritmo que o resto das metrópoles americanas por conta desse obstáculo.

Era hora de encontrar uma solução

It Was Time To Find A Solution
Universal History Archive/Universal Images Group via Getty Images
Universal History Archive/Universal Images Group via Getty Images

Então, o brainstorming começou. E as pessoas começaram a pensar em uma maneira diferente de fazer as pessoas cruzarem a baía que não envolvesse um serviço do tipo balsa. Ironicamente, a ideia de construir uma ponte não era possível.

O clima incerto e nebuloso da costa norte da Califórnia, sem falar nas fortes correntes e marés do estreito Golden Gate, não são as melhores condições para construir uma ponte. Mas isso não significa que as pessoas ignoraram completamente a ideia.

A Feira Mundial de 1915 foi apenas o começo

The 1915 World's Fair Was Just The Start
Schenectady Museum; Hall of Electrical History Foundation/CORBIS/Corbis via Getty Images
Schenectady Museum; Hall of Electrical History Foundation/CORBIS/Corbis via Getty Images

Embora muitas pessoas não acreditassem que tal estrutura pudesse ser criada, eles sabiam que se isso fosse possível, seria algo incrível – grande o suficiente para atravessar o estreito e alto o suficiente para permitir que navios maiores ainda passassem por baixo dele para a baía .

Somente em 1915, logo após a feira mundial da Exposição Internacional do Panamá-Pacífico, realizada em São Francisco, a ideia de uma grande ponte realmente começou a tomar forma.

A Proposta

The Proposal: A Combined Cantilever And Suspension Bridge
DeAgostini/Getty Images
DeAgostini/Getty Images

O engenheiro Joseph B. Strauss foi o primeiro a propor uma ponte suspensa e cantilever combinada, atravessando o estreito para conectar São Francisco ao que as pessoas agora conhecem como Condado de Marin.

Claro, demorou alguns anos desde a ideia inicial de Strauss em 1921. Mas depois de alguns anos, muitas revisões e muitas construções, a Golden Gate Bridge foi construída. Na época, era a mais longa e mais alta de seu tipo.

O dia de inauguração aconteceu em 1937

Opening Day Happened In 1937
Unknown/The San Francisco Chronicle via Getty Images
Unknown/The San Francisco Chronicle via Getty Images

A Ponte Golden Gate foi inaugurada oficialmente em 27 de maio de 1937. Concluída durante um período de crise econômica nos Estados Unidos, a ponte era um símbolo de esperança e progresso na área da baía.

Hoje, é indiscutivelmente uma das atrações turísticas mais procuradas de São Francisco, atendendo a cerca de dez milhões de visitantes por ano e transportando mais de 100 mil veículos todos os dias das costas de San Francisco ao Condado de Marin.

Com tanto tráfego diário, o que resta descobrir?

With So Much Daily Traffic, What Is Left To Discover?
David Madison/Getty Images
David Madison/Getty Images

Com tanto tráfego de pedestres e carros, parece improvável que haja algo a ser descoberto sobre o icônico marco de São Francisco. Mas isso é apenas superficial. Olhando por baixo das sombras aquosas da ponte Golden Gate, ainda existem muitos mistérios a serem resolvidos e muitas relíquias a serem encontradas.

Agora, cabe à NOAA trazer o que puderem à superfície. É apenas uma questão de o que eles vão encontrar.

Prontos para as descobertas subaquáticas

NOAA's Well-Equipped For Underwater Discoveries
Eva Marie Uzcategui/Getty Images
Eva Marie Uzcategui/Getty Images

A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) é uma agência científica que se concentra nas condições dos principais rios do mundo. Neste caso específico, eles fixaram seus olhos no estreito Golden Gate e no que está sob suas profundezas.

Felizmente, a organização está cheia de arqueólogos e pesquisadores marinhos de primeira linha, tornando-os bem equipados para cumprir sua missão. Mas nada os preparou para o que eles estavam prestes a descobrir na água.

Seu principal objetivo é monitorar as vias navegáveis do mundo

Their Main Goal Is To Monitor The World's Waterways
Hyoung Chang/The Denver Post via Getty Images
Hyoung Chang/The Denver Post via Getty Images

Parte da missão da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional é monitorar os oceanos e os principais cursos d’água encontrados em todo o mundo, incluindo os 330 mil milhas quadradas do Santuário Marinho Nacional Greater Farallones.

Explorar o fundo do mar em busca de algo fora do comum é apenas um de seus muitos objetivos. Mas foi aquele talento particular que os trouxe à ponte Golden Gate e às águas que ela atravessa.

Entre correntes e pessoas, a NOAA tinha muito trabalho a fazer

Between-Currents-And-People-NOAA-Had-A-Lot-Of-Work-To-Do-17322
Masci Giuseppe/AGF/Universal Images Group via Getty Images
Masci Giuseppe/AGF/Universal Images Group via Getty Images

Entre os nadadores, caiaques, turistas tirando fotos e os inúmeros carros que cruzam a ponte diariamente, é difícil imaginar que algo sobre a Golden Gate Bridge ainda seja um mistério. Bem, é aí que as pessoas estão erradas.

Com o passar dos anos, as ondas, as correntes e as marés derrubaram mais de um navio. Agora, a NOAA tem como missão descobrir algumas das histórias que esses navios deixaram para trás.

Eles encontraram oito descobertas potenciais

They-Found-Eight-Potential-Discoveries-Via-Sonar-49577
Francois LOCHON/Gamma-Rapho via Getty Images
Francois LOCHON/Gamma-Rapho via Getty Images

Uma equipe de pesquisadores da NOAA começou seu processo de varredura a oeste da Ponte Golden Gate em setembro de 2014. Depois de examinar suas varreduras por sonar, um equipamento utilizado para obtenção de imagens de regiões submersas, eles encontraram oito possíveis locais dignos de uma análise mais profunda.

No final das contas, quatro dos oito locais eram exatamente o que a equipe de pesquisadores estava procurando. Quatro dos locais que examinaram eram naufrágios! Agora, era hora de trazer os robôs.

Era hora de trazer o ROV

It-Was-Time-To-Bring-In-The-ROV-89178
Alexis Rosenfeld/Getty Images
Alexis Rosenfeld/Getty Images

Usando um veículo operado remotamente (ROV), a equipe foi a cada local individual, vasculhando o fundo do oceano para ver se havia algo de interesse lá. Para uma ponte que parecia não ter novos mistérios, com certeza havia um monte de contos não contados espalhados por baixo de suas profundezas.

Agora era uma questão de descobrir os nomes dos navios, de onde vinham e como acabaram nas águas sob a ponte Golden Gate.

Sua primeira descoberta

Their-First-Discovery-Noonday-77338
Sepia Times/Universal Images Group via Getty Images
Sepia Times/Universal Images Group via Getty Images

Depois de algumas escavações, a NOAA descobriu que um dos navios naufragados era o Noonday, um veleiro construído para o comerciante Henry Hastings de Boston. Infelizmente para Hastings, o navio afundou em sua quarta passagem para San Fransico em 1º de janeiro de 1863.

Felizmente, o porto estava à vista quando o navio atingiu uma rocha fatídica e entrou na água. Então, todos os homens conseguiram chegar em segurança. Mas isso não pode ser dito sobre a carga do navio.