Detalhes Sobre a Vida e Trajetória de Gugu

Gugu Liberato construiu uma trajetória de sucesso na televisão, tornando-se um dos apresentadores mais famosos e respeitados de todos os tempos. Ao longo de sua carreira, ele criou quadros famosos, apresentou programas de grande audiência e conquistou um verdadeiro império. Estima-se que o apresentador tenha deixado como herança uma fortuna de R$ 1 bilhão.

E desde a sua trágica morte, a médica Rose Miriam Di Matteo, mãe de seus três filhos, e os parentes do ídolo da televisão iniciaram uma batalha por esse dinheiro. O conflito colocou em evidência detalhes da vida íntima do apresentador nunca antes revelados. Confira a seguir a trajetória profissional, polêmicas e curiosidades da vida pessoal de Gugu!

O começo na televisão

20191125144942
Divulgação/SBT
Divulgação/SBT

Antônio Augusto Moraes Liberato, mais conhecido como Gugu, nasceu em 10 de abril de 1959, na cidade de São Paulo. Ele iniciou sua carreira na TV ainda adolescente, com apenas 14 anos, na década de 70. Depois de escrever diversas cartas para Silvio Santos com sugestões de brincadeiras, o jovem acabou sendo chamado para ser assistente de produção do “Domingo no Parque”.

Ainda bem jovem, Gugu começou a estudar Odontologia. Porém, acabou deixando o curso depois de receber um convite do próprio Silvio para assumir a apresentação do “Sessão Premiada”, um programa que ia ao ar nos intervalos de filmes e era exibido somente em São Paulo. Também foi jurado do “Programa Raul Gil” por um tempo.

Trilhando uma carreira de sucesso

gugu-com-silvio-santos-no-roletrando-1574479864945_v2_900x506
Moacyr dos Santos/SBT
Moacyr dos Santos/SBT

Em 1982, Gugu passou a integrar o time do “Viva a Noite”. A atração semanal era veiculada pelo SBT e no início era apresentada também por nomes como Ademar Dutra, Mariette Detotto e Jair de Ogum. Depois de algumas mudanças de formato, Gugu passou a comandar o programa sozinho. O “Viva a Noite” ficou conhecido, principalmente, por revelar bandas da música pop como Menudo, Dominó e Polegar.

Na mesma época, Gugu dirigia o “Domingo no Parque” e trabalhava como editor do boletim “Semana do Presidente”, que passava nos intervalos entre os quadros do “Programa Silvio Santos”.

Líder de audiência

gugu8
Divulgação/SBT
Divulgação/SBT

“Viva a Noite” realmente marcou a década de 80. Com musicais, competições, concursos e os quadros inusitados, o programa comandado por Gugu passou a ser líder de audiência nas noites de sábado em meados de 1983. Durante essa época, a atração do SBT chegou a marcar 32 pontos, contra 14 da Globo na mesma faixa de horário.

Ainda no começo dos anos 80, Gugu começou o curso de jornalismo na Faculdade Cásper Líbero.

Lançou grupo de sucesso

l
Divulgação/SBT
Divulgação/SBT

Gugu foi o responsável por impulsionar a carreira de algumas boy bands que ficaram famosas anos 1980 e 1990. Dentre elas, a banda Dominó, inspirada no Menudos, que foi formada pela produtora de do apresentador em 1984 e vendeu cerca de 6 milhões de discos no Brasil. A formação original do Dominó contava com Afonso Nigro, Nill, Marcos Quintela e Marcelo Rodrigues.

Após o sucesso do Dominó, Gugu seguiu no mesmo mercado e também ajudou a criar o grupo Polegar. Formado em 1989, o quinteto era composto por Alex Gill, Rafael Ilha, Marcelo, Alan Frank e Ricardo Costa.

O outro lado de Gugu

gugu00
Divulgação/SBT
Divulgação/SBT

Nos anos 90, já com a carreira de apresentador consolidada, Gugu passou a se aventurar ainda mais na cena musical, principalmente com canções voltadas ao público infanto-juvenil. Foi então que ele lançou alguns hits como “Pintinho Amarelinho”, música que conquistou as crianças por conta da letra e da coreografia.

Ele também passou a atuar em filmes da Xuxa, dos Trapalhões e da Angélica. Ainda focando no público mais jovem, Gugu lançou brinquedos com seu nome – como a famosa Toca do Gugu.

Quase foi para a Globo

gugu
Moacyr dos Santos/Divulgação
Moacyr dos Santos/Divulgação

Em 1987, a Rede Globo fez uma proposta para contratar Gugu. Na época, a emissora sofria nas tardes de domingo, sem conseguir competir com Silvio Santos. Gugu chegou a assinar um contrato de dois anos com a emissora carioca, segundo o livro “Comunicadores S.A.”, de Fernando Morgado.

Porém, Silvio Santos surgiu com uma contraproposta irrecusável. Além disso, o dono do SBT foi pessoalmente à sala de Roberto Marinho, no jornal “O Globo”, pedir a liberação de Gugu.

Mudança de planos

GettyImages-542649144
Paulo Fridman/Corbis via Getty Images
Paulo Fridman/Corbis via Getty Images

No SBT, Gugu passou a receber um salário de 5 milhões de cruzados, contra os 700 mil que haviam sido oferecidos pela Globo, fora os ganhos com publicidade. Além disso, segundo o livro “Comunicadores S.A.”, o combinado era de que, posteriormente, ele ficaria com grande parte da programação dominical, que até então que dominada por Silvio.

Com a desistência de Gugu, a Globo buscou Fausto Silva, que estava na Bandeirantes. Nasceria, assim, o embate ferrenho entre os programas “Domingo Legal” e o “Domingão do Faustão”. E por um bom tempo, a briga pela audiência foi favorável a Gugu, que encerrou a década de 90 com picos acima de 40 pontos.

O auge da carreira

domingo_legal_foto_moacyr_dos_santos_sbt_9_-18662574
Moacyr dos Santos/SBT
Moacyr dos Santos/SBT

A estreia do “Domingo Legal” aconteceu em 1993. Em um primeiro momento, o conteúdo era bem parecido com o do “Viva a Noite”. Porém, o programa passou por mudanças para bater a concorência.

O tom apelativo fez com que o “Domingo Legal” alcançasse muita audiência e Gugu chegasse ao topo da sua carreira de apresentador. Quadros como “Banheira do Gugu”, “Táxi do Gugu”, “Prova da camiseta molhada” se tornaram populares e até hoje são lembrados. Gugu comando o programa até 2009, quando fez algo que ninguém imaginava.

Polêmicas

e974c4d0-0d9a-11ea-9ded-a8657efe4d14
Moacyr dos Santos/SBT
Moacyr dos Santos/SBT

Apesar da grande audiência, o “Domingo Legal” ficou marcado negativamente por algumas polêmicas. Em 2003, a justiça proibiu a exibição da “Banheira do Gugu”, até então principal quadro do programa, antes das 21h.

Além da erotização, o programa também apelou para o sensacionalismo em determinados momentos, com destaque para a cobertura da morte dos Mamonas Assassinas e as gravações no presídio do Carandiru. Em 2001, a exibição de uma entrevista com dois supostos membros do PCC (Primeiro Comando da Capital) também gerou problemas para Gugu e para a emissora.

Vida de empresário

GettyImages-542649146
Paulo Fridman/Corbis via Getty Images
Paulo Fridman/Corbis via Getty Images

Gugu não teve sucesso apenas como apresentador. Ele também se destacou como empresário. Gugu lançou a Loja do Gugu e, mais tarde, o Parque do Gugu. Esse último foi inaugurado em 1997, tornando-se o maior parque indoor da América Latina. Mais tarde, junto com seu sócio Beto Carrero, abriu o Fantasy Acqua Club em Juquitiba (SP).

Ele também já investiu no mercado de bebidas não-alcoólicas e tinha como principal produto um suco de banana. A bebida era vendida proncipalmente para a Europa.

Queria seu próprio canal

20191122225437
João Batista da Silva/SBT
João Batista da Silva/SBT

Gugu já quis ter sua própria rede de TV. No ano de 1997, em meio ao sucesso do “Domingo Legal”, o apresentou se tornou sócio de um canal em Mato Grosso, a TV Pantanal. De acordo com o que foi divulgado pela repórter Elvira Lobato, da “Folha de S.Paulo”, Gugu ficou com 49% das ações da Pantanal Som e Imagem.

A concessão chegou a a ser anulada em 2002 pelo então ministro das Comunicações, Juarez Quadros. Mas, em fevereiro de 2007, Gugu conseguiu reverter a decisão depois de uma longa batalha judicial. A sonhada emissora chegou a ser batizada de Sistema TV Paulista Ltda. Porém,em meados dos anos 2000, Gugu desistiu do negócio. Na mesma época, ele inaugurou sua própria estrutura de produção, a GGP.

Sua própria produtora

sbt
Divulgação/SBT
Divulgação/SBT

Movido pelo desejo de ser dono de uma emissora, Gugu lançou sua própria produtora quando ainda apresentava seus programas no SBT. Ele comprou estúdios em Alphaville, na Grande São Paulo, e começou a produzir atrações como “Escolinha do Barulho”, que passou na Record entre 1999 e 2001.

Até hoje a GGP segue em atividade. O próprio programa, exibido de 2015 a 2017 pela Record, era transmitido ao vivo, direto da produtora do apresentador.

A grande mudança

gugu3
CHICO AUDI / Record/Divulgação
CHICO AUDI / Record/Divulgação

Gugu surpreendeu a todos ao trocar o SBT, após mais de 30 anos, pela Record. A troca aconteceu em 2009. Na época, surgiram rumores que o salário do apresentador teria saltado para R$ 3 milhões na sua nova emissora.

Em sua nova casa, ele passou a comandar o “Programa do Gugu” aos domingos. O contrato estava previsto para durar até 2017, mas foi rescindido quatro anos antes em comum acordo.

Novo acordo

guguzuzane
Reprodução/Record
Reprodução/Record

No começo de julho de 2014, a Record anunciou um acordo com a GGP Produções, produtora de Gugu. Após dois anos afastado da TV, Gugu voltou a ter um programa na emissora de Edir Macedo em dia 25 de fevereiro de 2015. Tudo era transmitido direto dos estúdios adquiros pelo apresentador no início dos anos 2000.

No programa de estreia, o apresentador exibiu uma entrevista exclusiva com ninguém menos do que Suzane von Richthofen, que pela primeira vez, revelou detalhes do assassinato de seus próprios pais. Embora tenha tido um início promissor, o programa não ficou muitos anos no ar. Em dezembro de 2017, “Gugu” deixou de ser exibido.

Comandando novos programas

gugu10
Reprodução/Record
Reprodução/Record

Desde então, Gugu passou a trabalhar na emissora por temporada em programas que não eram fixos. Primeiro, ele ganhou a missão de comandar o reality show “Power Couple Brasil”. Depois, passou a apresentar o talent show “Canta Comigo”, que ainda estava com uma temporada em andamento quando Gugu faleceu.

Esses foram seus últimos trabalhos antes da tragédia fatal. Saiba a seguir mais detalhes sobre a sua pessoas e o acidente que tirou a vida do apresentador.

O acidente fatal

gugu99
Reprodução/Record
Reprodução/Record

No dia 20 de novembro de 2019, Gugu sofreu uma queda de uma altura de cerca de quatro metros do sótão de sua casa em Orlando, na Flórida, Estados Unidos, quando tentava consertar o ar-condicionado. O apresentador foi prontamente encaminhado ao hospital, mas acabou não resistindo a um grave ferimento na cabeça. Atendendo à vontade dele, a família autorizou a doação de todos os órgãos que, segundo os médicos, beneficiariam até cinquenta pessoas.

Depois dos trâmites legais, o corpo de Gugu foi trasladado para o Brasil, chegando no aeroporto de Viracopos, em Campinas, no dia 28 de novembro. O velório aconteceu na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) e foi aberto ao público. Além dos familiares, diversos fãs marcaram presença para se despedir do apresentador.

Contruindo uma família

gugu89
Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

A relação entre Gugu e a médica Rose Mirian Souza Di Matteo começou logo no início da carreira do apresentador no SBT. Ela era uma de suas assistentes de palco do programa “Viva a Noite”. Porém, eles só apareceram juntos anos depois, em 1994.

Os dois nunca se casaram, mas costumavam estampar capas de revistas como um casal. Em 10 de novembro de 2001, Gugu e a médica tiveram o primeiro filho, João Augusto Liberato. Em 25 de dezembro de 2003, nasceram as duas filhas gêmeas, Sofia e Marina.

Disputa pela herança

caras
Reprodução/Caras
Reprodução/Caras

Depois do acidente fatal, detalhes sobre a vida pessoal e íntima de Gugu começaram a aparecer na mídia e geraram muitas dúvidas entre os fãs. Afinal, a médica Rose di Matteo era mulher de Gugu Liberato ou exclusivamente mãe de seus filhos? Seria ela uma “barriga de aluguel”?

Toda confusão começou depois que foi divulgado o conteúdo do testamento de Gugu. No documento, o apresentador exclui a mãe de seus filhos, Rose di Matteo, não a reconhecendo como companheira em união estável e consequentemente como uma das herdeiras de seus bens. A sua ausência no testamento a motivou a iniciar um batalha na Justiça.

Briga na Justiça

gugu6
Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

Na Justiça, Rose reivindica a condição de viúva meeira e representante legal de Sofia e Marina, as gêmeas e filhas caçulas do casal. Segundo fontes da revista “Veja”, a fortuna de Gugu é estimada em 1 bilhão de reais.

Em janeiro de 2020, a médica ganhou na Justiça o direito de receber uma pensão mensal de R$ 100 mil reais. O valor é o mesmo da pensão vitalícia deixada por Gugu para sua mãe, Maria do Céu, em seu testamento. Porém, a família do apresentador recorreu da decisão judicial, argumentando que eles nunca formaram de fato um casal, sendo “apenas amigos que decidiram ter filhos juntos”.

Mãe conta sua versão

9
Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

A vida íntima de Gugu Liberato sempre gerou curiosidade e boatos nos bastidores da TV, com rumores sobre uma possível bissexualidade ou homossexualidade. Gugu sempre manteve sua intimidade blindada, ignorando fofocas. Porém, após o acidente, sua vida privada passou a despertar ainda mais curiosidade e fatos nunca revelados começaram a ser revelados pelos próprios familiares.

Em entrevista ao “Fanstástico”, a mãe de Gugu quebrou o silêncio e contou sua versão sobre a relação do filho e da médica. “Ele nunca teve nada com ele. Nunca tiveram nada um com o outro. Isso eu te digo porque eu sei”, disse Maria do Céu, que se disse surpresa com a reação de Rose.