Produtos Que São Consumidos Em Excesso No Brasil e São Prejudiciais a Nossa Saúde

Como se sabe, as sociedades, economias e culturas existentes incitam à expansão do consumo e ninguém está isento de cair nas armadilhas do marketing. Compramos com frequência produtos desnecessários e que nem sempre são saudáveis. Porém, no que diz respeito à indústria alimentícia, os efeitos podem ser ainda mais nocivos à saúde.

No caso específico do Brasil, onde a obesidade e a desnutrição são um sério problema de saúde pública, esses tipos de alimentos nocivos são abundantes e são consumidos diariamente por muitas famílias. Como forma de alerta, apresentamos aqui vinte produtos que você deve evitar se quiser perder peso e prevenir doenças crônicas.

Coca-Cola e outros refrigerantes

GettyImages-1198522279
Smith Collection/Gado/Getty Images
Smith Collection/Gado/Getty Images

Uma lata de 350 ml de Coca-Cola tem 37 gramas de açúcar, o que equivale a nada menos do que sete colheres e meia de chá. Com essa quantidade, o consumidor já estaria no limite do que é recomendado para um dia inteiro. A OMS (Organização Mundial de Saúde) estabelece um limite máximo de 50 gramas ao dia, mas o ideal é que fiquemos na metade disso mesmo.

A bebida ainda tem em sua composição um corante chamado caramelo IV, classificado como possivelmente cancerígena, e como se não bastasse, também contém ácido fosfórico, que em excesso provoca a liberação do cálcio e o consequente enfraquecimento dos ossos. Além de possuir muitas substâncias artificiais em sua composição, o refrigerante tem valor nutricional quase nulo.

Iogurte

GettyImages-56430077
Bruno Vincent/Getty Images
Bruno Vincent/Getty Images

Alguns dos iogurtes favoritos dos brasileiros são verdadeiras bombas de açúcar e gordura que, a longo prazo, podem deteriorar sua saúde causando problemas de sobrepeso, obesidade, diabetes e até doenças metabólicas e cardíacas.

Alguns produtos também têm corantes e outros componentes nocivos à saúde. Além disso, muitos iogurtes não fornecem bactérias probióticas como geralmente se acredita. Então cuidado ao incluir este produto no lanche das crianças. Prefira sempre o iogurte natural, com teor baixo de gordura e sem aromatizantes e conservantes.

Macarrão instantâneo

GettyImages-1096359462
Antony Dickson/South China Morning Post via Getty Images
Antony Dickson/South China Morning Post via Getty Images

O ritmo frenético dos nossos dias impede que muitas pessoas consigam tempo para cozinhar, por isso cada vez mais os consumidores procuram soluções rápidas e baratas como as sopas e macarrões instantâneos. Mas a alta dose de sódio desses produtos é realmente preocupante. Um único copo chega a atingir mais da metade do sódio recomendado para um adulto.

Conferindo o rótulo de um Miojo de 85g, por exemplo, também encontramos mais de 30 ingredientes, a maioria deles aditivos químicos. Para piorar, seu teor de fibras é baixo por ser feito de farinha refinada.

Chocolates

GettyImages-927866616
Cris Faga/NurPhoto via Getty Images
Cris Faga/NurPhoto via Getty Images

Estes famosos chocolates, que tanto atraem as crianças pelos brinquedos e pelas surpresas que contêm no seu interior, podem trazer surpresas não tão agradáveis ​​para a saúde.

A maioria dos ovos de páscoa comercializados nas grandes redes varejistas do país durante a Páscoa apresenta teores de gordura e de açúcar superiores ao limite diário considerado saudável. Em excesso, esses ingredientes podem provocar, uma série de problemas à saúde. Para quem não abre mão do tradicional chocolate, as opções mais recomendadas pelos nutricionistas são as que têm mais de 70% de cacau.

Pipoca de microondas

GettyImages-3078930
Justin Sullivan/Getty Images
Justin Sullivan/Getty Images

Segundo um estudo da Universidade de Minnesota (EUA), o aromatizante que dá o sabor artificial de manteiga à pipoca de microondas pode aumentar o risco de doenças respiratórias e de Alzheimer. Este produto químico, conhecido como Diacetyl, já foi retirado da composição por muitas marcas. Mas, na dúvida, não deixe de conferir a lista de ingredientes da sua pipoca e prefira sempre fazer a tradicional pipoca de panela, sem abusar na quantidade de óleo e sal.

Sorvete

GettyImages-883607460
Stanzelullstein bild via Getty Images
Stanzelullstein bild via Getty Images

O sorvete pode ser delicioso, mas possui gordura, principalmente gordura trans, além de açúcar, que aumenta o colesterol ruim e triglicerídeos. Além disso, é um alimento muito calórico e o consumo em excesso pode facilitar o aumento de peso.

Os sorvetes também são ricos em corantes, que podem causar reações alérgicas, dificuldades respiratórias, irritação estomacal, problemas na pele, hiperatividade, entre outros problemas. E como você pode imaginar, tem quase nada de valor nutricional. Continue conferindo os alimentos que mais fazem mal à saúde.

Suco de fruta industrializado

GettyImages-71136819
MAURICIO LIMA/AFP via Getty Images
MAURICIO LIMA/AFP via Getty Images

No Brasil, muitas pessoas por falta de tempo ou conforto optam por comprar sucos de caixinha. Este produto é, na verdade, um coquetel de produtos químicos, contendo uma mistura de adoçantes artificiais, ácidos, cores e sabores artificiais.

Ao contrário do que sua imagem pode sugerir, seu teor de frutas é mínimo. O produto geralmente contém grandes quantidades de aspartame, um adoçante potencialmente cancerígeno. Você pode não acreditar, mas o suco de fruta contém tanto açúcar quanto bebidas como Coca-Cola ou Pepsi – e às vezes até mais.

Bolacha recheada

GettyImages-982745496
Jeffrey Greenberg/Universal Images Group via Getty Images
Jeffrey Greenberg/Universal Images Group via Getty Images

Bolachas recheadas são deliciosas e geralmente adoradas por crianças. Mas precisamos lembrar nossos leitores que elas são ricas em açúcar simples. Segundo nutricionistas, o açúcar tende a inibir a absorção de nutrientes como vitaminas e minerais, agride o intestino, causa desequilíbrio na flora intestinal e pode ainda causar inflamações e provocar diabetes. Estes produtos também são ricos em gorduras, normalmente do tipo trans, o que agrega ainda mais risco ao consumo exagerado e contínuo.

Barras de cereais

GettyImages-116181237
Deb Lindsey for The Washington Post via Getty Images
Deb Lindsey for The Washington Post via Getty Images

Muitos consumidores ainda acreditam que as barras de cereais que encontramos nos supermercados são ótimas opções de lanche. Mas isso não é verdade.

Quase todas as barrinhas são feitas com açúcar, sódio, conservante, gordura e sem nada de fibras. Então, não deixe de ler com atenção o rótulo do produto! Para evitar armadilhas, o ideal é fazer sua própria barrinha em casa, com ingredientes como mel orgânico e oleaginosas (castanhas, nozes, pistache e amêndoas).

Salgadinhos de pacote

GettyImages-919056312
illustration by Dan Kitwood/Getty Images
illustration by Dan Kitwood/Getty Images

Aqui temos outro produto delicioso que muitas pessoas adoram consumir como lanche, mas que esconde muitos perigos à saúde. Os salgadinhos industrializados são ricos em sal, que pode facilitar o aparecimento de pressão alta e doenças renais quando consumido em excesso.

Este produto também contém corantes artificiais, gordura trans e gordura saturada. Ou seja, o consumo habitual e contínuo favorece a incidência de doenças e aumento de peso.

Nuggets

GettyImages-919056194
Dan Kitwood/Getty Images
Dan Kitwood/Getty Images

Os nuggets estão no topo da lista dos alimentos que você deveria evitar. Assim como outros produtos ultraprocessados, os nuggets possuem quantidades elevadas de gordura saturada, sódio e muitos aditivos químicos que têm efeitos desconhecidos na nossa saúde, como conservantes, estabilizantes, corantes e aromatizantes. Além disso, ele é pré-frito em óleo vegetal e muitas vezes produzido com as piores partes do frango: olhos, patas, miúdos, bicos.

Pizza congelada

GettyImages-1207141300
Christoph Soeder/picture alliance via Getty Images
Christoph Soeder/picture alliance via Getty Images

A pizza é um dos alimentos mais populares do mundo. Mas muitas das pizzas comerciais, principalmente as congeladas, são feitas com ingredientes não saudáveis, incluindo massa altamente refinada, sódio em excesso, gorduras saturadas e carne altamente processada.

Por isso, o consumo em excesso está ligado ao aumento da pressão, doenças renais e até problemas cardíacos. A pizza também tende a ser extremamente rica em calorias, o que pode gerar obesidade.

Cachorro quente

GettyImages-919056338
Dan Kitwood/Getty Images
Dan Kitwood/Getty Images

Cachorro-quente é mais um alimento muito apreciado e consumido no Brasil, principalmente em confraternizações. Mas, infelizmente, ele também deve ser consumido com cautela. O pão é quase nada nutritivo e a salsicha contém alguns ingredientes perigosos. Para você ter uma ideia, uma porção de 50 gramas de salsicha possui 24% do valor diário de gorduras totais, 20% de gorduras saturadas e 20,3% de sódio. Além disso, para a conservação da salsicha são utilizados nitritos e nitratos, que têm forte ação cancerígena.

Comida congelada

GettyImages-87807174
MAURICIO LIMA/AFP via Getty Images
MAURICIO LIMA/AFP via Getty Images

Quem nunca chegou em casa bastante cansado, depois de um dia longo de trabalho, e matou a fome com uma comida congelada. Tudo parece simples, basta colocar o alimento no microondas por alguns minutos para tentar uma refeição deliciosa. Mas não se empolgue tanto com essa facilidade.

Isso porque esse tipo de alimento costuma ser rico em gordura saturada, que facilita o aumento dos níveis do colesterol ruim e o risco de desenvolver doenças cardiovasculares. Além disso, os alimentos congelados são ricos em sódio. A substância libera hormônios que provocam retenção de líquido, inchaço e o aumento da pressão alta.

Temperos industrializados

tempero-47090
Reprodução
Reprodução

A maioria dos temperos que encontramos no supermercado contém doses altíssimas de sódio e substâncias químicas. Entre elas, o glutamato monossódico, um realçador de sabor que altera as papilas gustativas e cria uma espécie de vício. E mais: o uso exagero pode causar outros problemas como aumento da pressão arterial, risco de infarto ou acidente vascular cerebral. Para evitar problemas de saúde, faça seu próprio tempero. Troque os industrializados por ervas e temperos naturais.

Margarina

GettyImages-1207657301
Rahel Patrasso/Xinhua via Getty Images
Rahel Patrasso/Xinhua via Getty Images

A margarina sem gordura trans tornou-se mais disponível nos últimos anos, mas a maior parte ainda é feita com óleos vegetais líquidos hidrogenados – que são gordura trans. Essas gorduras provocam acumulo de gordura na região abdominal. Além disso, promovem o aumento dos níveis de colesterol ruim e potencializam o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Se quiser melhorar sua saúde, experimente comer manteiga de verdade e evite margarina com gordura trans. Sempre leia as informações nutricionais com atenção e limite os produtos que contêm gordura trans.

Ketchup

GettyImages-550667587
Wodicka/ullstein bild via Getty Images
Wodicka/ullstein bild via Getty Images

Sim, como você já sabe, o ketchup vem do tomate. Mas nem por isso o produto pode ser consumido sem cuidados. Acontece que muitas das marcas que encontramos no supermercado exageram no nível de açúcar e sal para padronizar o sabor e estender o tempo de validade do produto. E você já viu aqui: açúcar e sal, em excesso, não fazem bem para nossa saúde. Então, vale a pena dar uma conferida nos rótulos e procurar a opção mais saudável.

Adoçante artificial

GettyImages-1038816888
Jens Kalaene/picture alliance via Getty Images
Jens Kalaene/picture alliance via Getty Images

Adoçantes são menos calóricos que açúcar, mas não são necessariamente mais saudáveis. Existem diferentes tipos, de acordo com as substâncias presentes, que podem ser aspartames, sacarina, sucralose e a acessulfame-k. Como não há um limite exato e seguro para o consumo diário, o ideal é que se use o mínimo possível. Alguns estudos, inclusive, apontam a relação entre os adoçantes e Alzheimer, Parkinson e alguns tipos de câncer, mas ainda são necessárias mais pesquisas. Se você não tem diabetes, o melhor é substituir por algo mais natural, como o açúcar de coco, demerara ou mascavo orgânico, claro que em pouca quantidade.

Achocolatados

GettyImages-511160938
Andrew Burton/Getty Images)
Andrew Burton/Getty Images)

Quase todas as crianças amam tomar leite com achocolatado. Mas os pais precisam ter cuidado com este produto. Para se ter uma ideia, 75% dos componentes de uma embalagem de Nescau são açúcares. Na de Toddy, o percentual é de 90%. Esse carboidrato simples, de alto índice glicêmico, não tem nutrientes.

Portanto, é importante ficar de olho no que você está dando para os pequenos, pois o consumo excessivo desse produto, por conter muito açúcar, pode causar diversos danos à saúde.

Biscoito água e sal

GettyImages-957778370
Eddy Buttarelli/REDA&CO/Universal Images Group via Getty Images
Eddy Buttarelli/REDA&CO/Universal Images Group via Getty Images

Mais um erro bastante comum! Algumas pessoas gostam de ter na mochila um pacote de biscoito integral, acreditando ser um lanche prático e saudável. Mas muitas vezes não é! Geralmente, a farinha branca comum é o primeiro item a aparecer no rótulo dos biscoitos ditos integrais. Eles também costumam ter ingredientes como açúcar, gordura saturada e sal. Mas caso você não abra mão deste lanche, o ideal é consumir aquelas bolachas que têm, na lista de ingredientes, em primeiro lugar, farinhas integrais ou farelos. São as que contêm maior teor de fibra.

Açaí

GettyImages-883571366
Dünzlullstein bild via Getty Images)
Dünzlullstein bild via Getty Images)

O açaí se tornou um dos lanches mais consumidos em todo o Brasil. Muitos acreditam ser uma opção saudável, mas é preciso fazer boas escolhas para evitar problemas. A fruta não faz mal, mas os complementos tornam o açaí na tigela uma sobremesa bastante calórica e até maléfica.

A maioria leva xarope de glicose com guaraná, que tem muito açúcar. Se você procura uma opção saudável, o melhor é bater o açaí puro apenas com banana e morango.