Os Milionários Que Fizeram Sua Fortuna Do Zero

Começar do zero não é fácil. Algumas das pessoas mais ricas do Brasil e de outros lugares do mundo passaram por momentos de muita dificuldade no início da trajetória profissional. Porém, o resultado foi compensador. Hoje eles acumulam verdadeiras fortunas!

Conheça as histórias de algumas personalidades que se tornaram milionárias (e até bilionárias!) partindo do zero. Entre os brasileiros estão nomes como Samuel Klein (Casas Bahia), Guilherme Leal (Natura) e Flavio Augusto (Wise Up).

Samuel Klein (Casas Bahia)

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O polonês Samuel Klein deixou a Europa durante a Segunda Guerra Mundial e se fixou no Brasil na década de 50. No começo, na cidade de São Caetano do Sul, ele vendia roupas de cama, mesa e banho de porta em porta. Depois de cinco anos, comprou uma pequena loja e escolheu como nome “Casas Bahia” em homenagem aos fregueses imigrantes baianos que buscavam oportunidades em São Paulo. Algumas décadas depois, ele ergueu um dos maiores e mais sólidos empreendimentos do varejo brasileiro. Samuel Klein morreu em 20 de novembro de 2014 aos 91 anos. Sua fortuna pessoal era estimada em R$ 1,48 bilhão.

Carlos Wizard (Mundo Verde)

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Nascido em Curitiba, Carlos era de uma família humilde. No início da adolescência, ele teve aulas de inglês com os missionários norte-americanos. Aos 17 anos viajou aos Estados Unidos com apenas 100 dólares no bolso para aperfeiçoar seu inglês e, ao término da faculdade, retornou em definitivo ao Brasil. Para complementar o salário, ele passou a dar aulas de inglês à noite após o expediente. Carlos conquistou vários alunos e transformou a escola numa rede de idiomas através dos sistema de franquias, a Wizard. Em 2013, vendeu a sua participação no Grupo Multi Holding à transnacional Pearson PLC por cerca de R$ 2bi (USD 719.6mi). Mas ele não parou! Hoje ele tem uma série de negócios, sendo dono das marcas Rainha e Topper, da rede de alimentação saudável Mundo Verde e sócio da rede de idiomas Wise Up por exemplo.

Guilherme Leal (Natura)

Foto: EVARISTO SA/AFP/Getty Images
Foto: EVARISTO SA/AFP/Getty Images

Guilherme Leal conciliava a rotina de trabalho e estudos até se formar em Administração de Empresas. Durante o período em que trabalhou na FEPASA (Empresa Estadual de Transporte Ferroviário de São Paulo), ele conheceu Pedro Passos, que se transformaria no futuro em um de seus sócios. No final da década de 70, foi fundada a Natura. Leal e seus sócios acreditavam que as marcas possuem um papel fundamental na transformação socioambiental e foi uma das primeiras empresas a trazer à tona alguns conceitos de sustentabilidade. Atualmente, a fortuna de Leal é estimada em cerca de US$ 1,2 bilhão.

Oprah Winfrey (Apresentadora de TV)

Foto: Paul Drinkwater/NBCUniversal via Getty Images
Foto: Paul Drinkwater/NBCUniversal via Getty Images

Oprah é hoje uma das personalidades mais admiradas do mundo. Porém, ela não teve uma trajetória nada fácil. Nascida em uma família muito pobre no Mississipi, ela precisou se dedicar muito para ganhar uma bolsa de estudos na Tennessee State University. Aos 19 anos, ela se tornou a primeira apresentadora de TV negra no Estado. Após se mudar para Chicago, no início da década de 80, Oprah início a apresentação de um talk show que mais tarde se tornaria o conhecidíssimo “The Oprah Winfrey Show”. Sua fortuna é avaliada em US$ 2,9 bilhões.

Howard Schultz (Starbucks)

Foto: Stephen Brashear/Getty Images
Foto: Stephen Brashear/Getty Images

O empresário cresceu em um conjunto habitacional, mas mudou o rumo da sua vida após ganhar uma bolsa de estudos na University of Northern Michigan. Já com o diploma na mão, ele trabalhou em uma loja de Xerox e, pouco tempo depois, assumiu a gerência da Starbucks. Na época, a cafeteria tinha apenas 60 lojas. Schultz tornou-se presidente da empresa em 1987, e revolucionou a forma como pessoas tomam café no mundo. Sob sua direção, a Starbucks se tornou a maior rede de cafeterias do mundo, com mais de 25.000 lojas em 75 países. Sua fortuna é de cerca US$ 3 bilhões.

Luiza Trajano (Magazine Luiza)

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Luiza começou a trabalhar aos 12 anos como balconista na loja dos seus tios no interior do estado de São Paulo. Após se formar em Direito e Administração de Empresas, ela chegou a ocupar cargos em todos os setores da empresa. Hoje, ela comanda ao lado do seu filho uma das maiores redes de varejo do país. São 800 lojas em 16 estados e cerca de 23 mil funcionários. Sua gestão foi objeto de estudo pela Harvard Business School (EUA), como case de sucesso empresarial. Sua fortuna é avaliada em cerca de R$ 1,2 bilhão.

Flavio Augusto (Wise Up)

Foto: Alex Menendez/Getty Images
Foto: Alex Menendez/Getty Images

Flávio Augusto cresceu na periferia da cidade do Rio de Janeiro. Seu primeiro emprego foi na área comercial de uma escola de inglês. Em 1995, com 23 anos, Flavio criou a Wise Up sem dinheiro – usou R$20 mil do cheque especial a uma taxa de 12% ao mês. Em 2013, ele vendeu o controle da empresa para a Abril Educação por R$ 877 milhões. Mas dois anos depois, em crise, ela foi oferecida novamente a Flavio Augusto, que aceitou recomprá-la por um valor bem menor, R$ 398 milhões. Nos últimos anos, ele também comprou um clube de futebol profissional nos Estados Unidos, o Orlando City.

Do Won Chang (Forever 21)

Foto: Alberto E. Rodriguez/WireImage
Foto: Alberto E. Rodriguez/WireImage

Chang e sua esposa, Jin Sook, migraram da Coréia do Sul para os Estados Unidos em 1981. No início, ele teve de trabalhar em três empregos ao mesmo tempo para cobrir as despesas: como faxineiro, frentista e atendente em uma loja de café. A vida do casal tomou um novo rumo quando eles abriram a primeira loja de roupas em 1984 em Los Angeles. Conforme a revista Forbes, o faturamento da Forever 21 encontra-se hoje entre 4,4 bilhões de dólares (2016), contando com 43.000 empregados e 790 estabelecimentos distribuídos em 48 países. Já o patrimônio de Chang é avaliado em US$ 5 bilhões.

Jan Koum (WhatsApp)

Foto: Lachlan Cunningham/Getty Images for Discovery
Foto: Lachlan Cunningham/Getty Images for Discovery

Jan é um dos fundadores do serviço de mensagem instantânea para celular Whatsapp. Ele nasceu na Ucrânia e com 16 anos foi para os Estados Unidos. Na América, sua família se mantinha com a ajuda do governo. Aos 18 anos, Koum aprendeu sozinho sobre redes de computadores, comprando manuais em uma loja de livros usados. A primeira grande oportunidade veio em 1994, quando Jan Koum foi contratado pelo Yahoo! como engenheiro de infraestrutura. Em 2009, ele começou a produzir o aplicativo WhatsApp. O app foi vendido para o Facebook em 2014 por US$ 19 bilhões. Hoje com 42 anos, ele tem sua fortuna avaliada pela revista Forbes em aproximadamente US$ 6,8 bilhões.

Silvio Santos (SBT)

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Proprietário do Grupo Silvio Santos, que inclui empresas como a Liderança Capitalização (administradora da loteria Tele Sena), a Jequeti Cosméticos e o Sistema Brasileiro de Televisão (mais conhecido como SBT), Silvio Santos possui um patrimônio avaliado em US$ 1 bilhão. Porém, ele também precisou começar do zero. Filho de imigrantes, ele se criou no bairro da Lapa, Rio de Janeiro. O primeiro tipo de produto que começou a comercializar foi capa para título de eleitor. Com o tempo, ele adquiriu o Baú da Felicidade, iniciou sua trajetória na televisão, comprou um canal próprio até se tornar dono de um dos maiores conglomerados do país

Larry Ellison (Oracle)

Foto: Kimberly White/Getty Images
Foto: Kimberly White/Getty Images

Larry Ellison nasceu em Nova York e foi rejeitado pela mãe solteira. Então ele passou a viver com um casal de tios em Chicago. Já na Califórnia, ele teve diversos “pequenos” empregos. Até que no final dos anos 70 ele fundou junto com dois colegas uma companhia de desenvolvimento de softwares: a Oracle. Após três décadas, a empresa é hoje uma das maiores do ramo de tecnologia do mundo, avaliada pela revista Forbes em 28 bilhões de dólares. Ele também é dono de um luxuoso resort no Havaí e de uma companhia aérea, a Island Air, que faz voos para a ilha onde fica seu resort. Sua fortuna é estimada em US$ 45,3 bilhões (2016).

Amancio Ortega (Zara)

Foto: Xurxo Lobato/Cover/Getty Images
Foto: Xurxo Lobato/Cover/Getty Images

Ortega começou a trabalhar aos 14 anos como entregador em uma pequena fábrica de roupas na Espanha. Em poucos anos, subiu na empresa e transformou a rede fast-fashion Zara em uma potência, sendo a principal marca do grupo Inditex. Em Agosto de 2017, tornou-se o homem mais rico do mundo ao ultrapassar Bill Gates. Seu patrimônio é estimado em US$ 80 bilhões.

Antonio Saraiva (Habib´s)

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Não estava nos planos de Antonio trabalhar com alimentação. Com 17 anos, ele sonhava em fazer medicina e chegou a ser aprovado na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Porém, seu pai foi assassinado após comprar uma padaria em São Paulo. Como irmão mais velho, Antonio decidiu trancar o curso e seguir com o negócio do pai. Depois de pouco mais de um ano, vendeu a padaria e retornou ao curso de medicina. No entanto, resolveu voltar ao comércio vendendo pastéis. Em 1988 nasceu o Habib´s, que hoje possui cerca de 22 mil colaboradores e mais de 420 restaurantes distribuídos em mais de 20 estados do Brasil e com faturamento acima de R$ 2 bilhões.

Marcel Telles (3G)

Foto: HERWIG VERGULT/AFP/Getty Images
Foto: HERWIG VERGULT/AFP/Getty Images

Ele é um dos sócios de Jorge Paulo Lehman no fundo 3G, que atualmente controla empresas globais como AB-Inbev, Burger King e Heinz. Porém, seu começo não foi nada glamouroso. Aos 22 anos, ele trabalhava na Corretora Garantia como office-boy. Meses depois, Marcel conseguiu uma oportunidade como operador de bolsa. Na década de 90, quando os principais sócios do Garantia adquiriram a cervejaria Brahma, Marcel assumiu o comando das operações levando a empresa a ter grande sucesso. Hoje Telles é o terceiro homem mais rico do Brasil. Seu patrimônio é estimado em US$ 10,2 bilhões.

Jorge Paulo Lemann (3G)

Foto: Scott Olson/Getty Images
Foto: Scott Olson/Getty Images

Ex-jogador de tênis, Lemann é o maior acionista da Ambev, Burguer King e sócio da gestora 3G Capital. Mas ele também começou sem grandes investimentos. Em 1971, ele comprou uma pequena corretora de valores, que em poucos anos se tornou um banco de investimentos. O negócio foi vendido em 1998, mas Lemann seguiu investindo em empresas até se tornar sócio da cervejaria Ambev. Em 2004, fundou a 3G Capital. Hoje é o homem mais rico do Brasil, com fortuna avaliada em US$ 25 bilhões (2016). No mundo ele ocupa a 34ª posição entre os maiores bilionários.

Jack Ma (Alibaba)

Foto: Michael Loccisano/Getty Images
Foto: Michael Loccisano/Getty Images

Segundo homem mais rico da China, Jack Ma nasceu na pobreza e teve dificuldades até começar a carreira de professor de inglês. Porém, após uma visita aos Estados Unidos em 1988, ele resolveu mudar o rumo profissional e abrir sua primeira empresa na internet. O site era um guia com telefones e endereços de empresas e prestadores de serviços no país. O negócio foi vendido em 1996. Três anos depois, ele fundou uma nova empresa de comércio eletrônico, o Alibaba. Em 2014, a entrada da empresa na Bolsa de Valores de Nova York bateu recorde e superou os US$ 22 bilhões. O chinês tem fortuna avaliada em US$ 26,5 bilhões.

Ralph Lauren (Ralph Lauren)

Foto: Mike Coppola/Getty Images
Foto: Mike Coppola/Getty Images

Lauren se formou no ensino médio no Bronx, Nova York, mas depois abandonou a faculdade para se juntar ao Exército. Um dos mais importantes estilistas do século 20, Lauren trabalhava como balconista na Brooks Brothers quando notou que os homens estavam prontos para usar gravatas com o design mais ousado. Em 1967, decidiu fazer de seu sonho uma realidade e vendeu 500 mil dólares em gravatas. Depois de algum tempo, ele abriu a Polo.

George Soros (Mega Investidor)

Foto: NICHOLAS KAMM/AFP/Getty Images
Foto: NICHOLAS KAMM/AFP/Getty Images

Para escapar da ocupação Nazista, George Soros precisou fingir ser afilhado de um funcionário do Ministério da Agricultura em seu país, a Hungria. No final da década de 40, ele fugiu do país e foi para Londres. Lá, ele trabalhou como garçom na London School of Economics. Após se formar, entrou para o mercado financeiro em um banco de Nova York. Atualmente, ele dos maiores homens de negócios do mundo e é sua fortuna é avaliada em cerca de US$ 20 bilhões.

Leonardo Del Vecchio (Luxottica)

Foto: Stefania D’Alessandro/Getty Images
Foto: Stefania D’Alessandro/Getty Images

Leonardo Del Vecchio cresceu em um orfanato e mais tarde trabalhou em uma fábrica de moldes de peças de automóvel e armações de óculos, onde perdeu parte de um dedo. Aos 23, ele abriu sua própria loja de moldagem, que se expandiu até se tornar a maior fabricante mundial de óculos de sol e óculos de grau, com marcas como Ray-Ban e Oakley. Hoje seu patrimônio é de US$ 24,1 bilhões.