Médicos Estão Confusos Com Esse Menino Que Não Para de Crescer

Um jovem do Estado de Michigan, nos Estados Unidos, tem chamado a atenção do mundo por causa de sua altura anormal. Esse garoto é alto. Realmente alto. A estatura de Broc faz com que ele sofra de dor crônica e precise encarar o preconceito de muitas pessoas.

Sua família também teve que usar suas economias na compra de roupas e móveis especiais para a Broc. Depois de algumas aparições públicas, a vida de Broc mudou completamente. Continue lendo para descobrir o quão alto Broc é e como seu crescimento poderá impactar sua expectativa de vida.

Ele tinha um peso e altura normal no nascimento

foto1
Daily Mail
Daily Mail

Quando Broc Brown nasceu, ele parecia um bebê normal e saudável. No dia do seu nascimento, ele pesava cerca de 3,5 kg e media 55 centímetros. Sua mãe, Darci Moss Elliot, nunca suspeitou que houvesse algo de anormal em seu filho.

Porém, quando Broc começou a crescer, ficou claro que ele era diferente das outras crianças. Depois que Darci o levou para casa do hospital, ela percebeu que ele estava crescendo muito rapidamente.

Ele crescia mais rápido que qualquer criança

foto2
Barcroft TV
Barcroft TV

Broc estava rapidamente superando todos os macacões e roupas de bebê que seus pais haviam comprado para ele. Ele era tão feliz e energético quanto a maioria das outras crianças de sua idade, mas parecia estar amadurecendo mais rápido que seus colegas.

É normal que crianças experimentem surtos de crescimento. Entretanto, no caso de Broc, o crescimento acelerado sempre foi constante. Quando chegou a hora de Broc entrar no jardim de infância, alguém fez uma observação que mudaria o curso de sua vida.

A diferença era gritante

foto3
Reprodução/The Sun
Reprodução/The Sun

Muitos pais sentem que seus filhos crescem rápido demais, mas Darci sentiu que seu filho estava crescendo muito mais rápido do que o normal. No primeiro dia do jardim de infância de Broc, Darci notou que seu filho era muito mais alto que seus colegas de classe. Broc já tinha 1,57 de altura.

A maioria dos garotos de cinco anos na América tem cerca de um metro e 15 centímetros nessa fase. Isso é realmente impressionante! Quando ele estava ao lado de seus colegas de classe, ele se elevou sobre eles.

Nos primeiros anos de escola, ele era tão alto quanto um adulto

foto4
Reprodução/The Sun
Reprodução/The Sun

Quando chegou à primeira série, Broc estava incrivelmente com a mesma altura que sua mãe. Em um primeiro momento, Darci se mostrava apenas curiosa sobre a extraordinária estatura de seu filho. Mas não demorou muito até ela começar a se sentir preocupada.

A tia de Broc, Stacy Snyder disse: “Quando ele era pequeno, ele queria andar de bicicleta, mas quando você tenta ensinar uma criança de seis anos que é do mesmo tamanho que você, é difícil. Você não consegue estabilizá-lo”.

Uma criança no corpo de um adulto

foto5
Reprodução/LIfebuzz
Reprodução/LIfebuzz

Por conta da sua condição, Brown passou a ter dificuldades de aprendizagem, hiperatividade e déficit de atenção. Na escola, ele também começou a ter limitações para jogar com as demais crianças da sua turma.

Sua família também precisou lidar com alguns problemas no dia a dia. Darci disse: “Quando você tem uma criança de cinco anos que se machuca e eles vêm correndo para você, você os pega. Eu fazia isso, mas ele já tinha a metade do meu tamanho, então eu tenho muitos problemas nas costas”.

Eles procuraram um médico em busca de respostas

foto6
Reprodução/WILX
Reprodução/WILX

Darci começou a suspeitar que o rápido crescimento de Broc estava relacionado a algo mais ameaçador do que apenas um simples surto de crescimento. Preocupada com o bem-estar de seu filho, ela decidiu levá-lo ao médico da família para um exame completo.

O médico de sua família encaminhou Broc para outro médico, que fez vários testes. Quando os resultados chegaram, eles tiveram o tão aguardado diagnóstico.

Saiba qual foi a resposta do médico nos próximos slides.

Um diagnóstico raro de gigantismo cerebral

foto7
Reprodução/Daily Mail
Reprodução/Daily Mail

Quando Broc tinha cinco anos, os médicos puderam lhe dar um diagnóstico. Ele tem uma condição rara que afeta uma em cada 15 mil pessoas. Essa condição é chamada Síndrome de Sotos, também conhecida como “gigantismo cerebral”.

Depois de receber o diagnóstico, a mãe de Broc disse: “Não há nada que possa impedi-lo de crescer – não sei se ele vai parar”. Isso fez com que Darci se preocupasse com o futuro de seu filho.

Outras coisas para pensar

foto8
Reprodução/Daily Mail
Reprodução/Daily Mail

Quando a família de Broc recebeu o diagnóstico da Síndrome de Sotos, eles não sabiam muito sobre isso. No início, Darci pensou que isso significava apenas que seu filho cresceria mais rápido do que as outras crianças de sua classe. Mas infelizmente, existem alguns outros efeitos mais terríveis.

Os médicos disseram à família que Broc provavelmente não passaria da adolescência. Os médicos também explicaram que atualmente não existem opções de tratamento para a Síndrome de Sotos.

Como a síndrome de Sotos afetaria sua vida

foto9
Reprodução/Daily Record
Reprodução/Daily Record

As pessoas nascidas com Síndrome de Sotos crescem rapidamente quando crianças. Elas superam seus irmãos mais velhos e até mesmo seus pais ainda nos primeiros anos de vida.

Porém, quando chegam na fase adulta, elas geralmente param de crescer e acabam ficando com a mesma altura que a maioria das pessoas de sua idade. Mas este não foi o caso de Broc. Ele não se encaixava exatamente na descrição da Síndrome de Sotos.

Um adolescente quase comum

foto10
Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

É normal que algumas crianças experimentem surtos de crescimento durante a puberdade, mas Broc foi muito além disso. Ele era disparado o mais alto da sua turma desde o ensino fundamental. No ensino médio não foi diferente.

No entanto, ele era um adolescente típico. Broc gostava de passar o tempo com seus amigos, pescar e brincar ao ar livre. Mas aos 14 anos, Broc já tinha incrivelmente 1,82m de altura.

Crescendo mais rápido do que a maioria das pessoas com síndrome de Sotos

foto11
Reprodução/Daily Mail
Reprodução/Daily Mail

Os médicos que acompanhavam o caso de Broc notaram que ele estava crescendo mais que a maioria das pessoas com Síndrome de Sotos. Essa descoberta os deixou ainda mais preocupados com a saúde do garoto.

No início, os médicos especularam que Broc não conseguiria chegar à idade adulta, mas isso piorou ainda mais. Depois, eles passaram a dizer que, infelizmente, ele provavelmente não chegaria aos 15 anos. Sua taxa de crescimento era demais para qualquer corpo humano sustentar.

Ele tem muita dor física

foto12
Reprodução/The Sun
Reprodução/The Sun

Por conta da Síndrome de Sotos, Brown tem dificuldades de aprendizagem, hiperatividade, déficit de atenção e transtorno compulsivo intermitente. O jovem ainda sofre de curvaturas na coluna vertebral e estreitamento da medula espinhal que lhe causam muitas dores. No entanto, ele não pode tomar nenhum analgésico para aliviá-las, já que nasceu apenas com um rim.

Broc comentou sobre as dores que sente em sua coluna: “Parece que uma grande raquete de tênis passou pelas minhas costas. É difícil lidar com isso”.

Ele precisa de muito descanso

foto13
Reprodução/ The Telegraph
Reprodução/ The Telegraph

Como Broc não pode tomar medicamentos para dor, sua família adotou medidas para tornar sua existência mais confortável. Eles encomendaram uma cama sob medida. Além disso, eles compraram uma cadeira especial que custou cerca de mil dólares.

Broc também tem uma rotina diferente. Ele dorme até 16 horas por dia durante os surtos de crescimento. Durante esses períodos, ele não tem forças para despertar porque seu corpo está usando toda a sua energia armazenada para continuar crescendo.

“Um coração tão grande quanto seu corpo”

foto14
Reprodução/cas.sk
Reprodução/cas.sk

Broc se mantém positivo, apesar da sua luta diária. Sua tia Stacy Snyder disse que ele “assume sua condição dia após dia com um sorriso no rosto”. Sua mãe acrescentou: “Em geral ele é manteiga derretida, seu coração é tão grande quanto seu corpo”.

Broc é um eterno otimista e já se “acostumou” com o fato de que sua vida pode ser mais curta do que a maioria das pessoas. Atualmente, Broc só espera algo capaz de minimizar as dores: “Eu só queria que os médicos fizessem algo para ajudar a minha dor”.

Pronto para experimentar a vida

foto15
Reprodução/The Sun
Reprodução/The Sun

Broc enfrenta várias dificuldades todos os dias por causa de sua condição. Ele tem sérios problemas em alguns lugares como restaurantes, cinemas e aviões. Por conta do seu tamanho, ele também sofre para entrar em carros.

Mas por sorte, Broc conseguiu fazer algumas viagens recentemente. Ele recebeu uma oportunidade que o levaria a quilômetros de distância de sua casa e mudaria sua vida para sempre. Você consegue imaginar que viagem foi essa?

Ele tem um recorde mundial

foto16
Reprodução/The Sun
Reprodução/The Sun

Broc cresceu em Jackson, no Estado de Michigan (EUA). Em sua cidade, que tem cerca de 30 mil habitante, ele sempre foi uma espécie de celebridade local. Mas a influência de Broc era tão grande que as notícias sobre o seu tamanho acabaram chegando a todo o país.

Broc manteve o Recorde Mundial do Guinness por ser o adolescente mais alto do mundo até 2015. Esse foi o ano em que completou 20 anos. Ele não era mais um adolescente, então não podia mais manter o título.

Ele conheceu outras crianças com sua síndrome

foto17
Reprodução/Daily Mail
Reprodução/Daily Mail

Em 2016, Broc participou de um documentário da TLC chamado “Tallest Teens”. Através dessa experiência, ele teve a chance de conhecer outras pessoas da sua idade com Síndrome de Sotos. Isso ajudou Broc a entender que ele não era único e não precisava mais sofrer sozinho.

Com 19 anos, ele já estava com 2,33 metros de altura. Se continuar crescendo nesse ritmo, Broc vai atingir a marca do homem mais alto do mundo, Sultan Kosen, de 2,48 metros.

Ele já sofreu bullying

foto18
Reprodução/YouTube
Reprodução/YouTube

Broc Brown continuou aparecendo na televisão depois que o documentário da TLC foi ao ar. Em 2016, ele participou de um episódio especial anti-bullying do “The Maury Show”. Broc contou sua história de superação ao lado de sua mãe. Durante o programa, eles discutiram a experiência de Broc, que já sofreu bullying por causa de sua condição física.

Depois de aparecer no programa, Broc começou a receber apoio de diversas pessoas do mundo todo. Até então, ele não tinha ideia do tipo de impacto que sua trajetória teria sobre outras pessoas.

Broc recebeu apoio depois de contar sua história

foto19
Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

O que Broc disse no “The Maury Show” teve um enorme impacto na vida de várias pessoas. O público ficou realmente tocado pela história do jovem. Desde então, ele passou a receber apoio de todos os cantos dos Estados Unidos.

Broc também recebeu mensagens de outras crianças portadoras da Síndrome de Sotos. Mesmo feliz com a repercussão do programa, sua família ainda estava preocupada com os gastos relacionados aos cuidados médicos de Broc.

Um obstáculo financeiro para a família de Broc

foto20
Reprodução/The Sun
Reprodução/The Sun

Além das contas médicas, a família de Broc também é responsável por vestir esse menino em constante crescimento. Broc precisa trocar o seu guarda-roupa todo ano. Além disso, ele usa roupas especiais (muitas vezes caras) porque não se encaixa nos tamanhos tradicionais.

Para completar, sua família precisou providenciar um mobiliário especial para Broc. Tudo isso gerou uma despesa enorme para sua família. Até que um dia eles resolveram pedir ajuda financeira para a comunidade.

O apoio da comunidade

foto21
Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

A família de Broc sempre fez tudo o que podia para apoiar Broc, mas chegou uma hora que eles precisaram pedir ajuda financeira. Eles decidiram criar “A Página de Suporte para Broc D Brown” no Facebook. Depois que o documentário do canal TLC foi lançado, sua página no Facebook alcançou mais de 15 mil curtidas.

Com tamanha repercussão, eles conseguiram arrecadar mais de 10 mil dólares. O dinheiro foi usado para renovar o guarda-roupa de Broc.